Ocorreram ontem (17/05), em todo o Estado de Mato Grosso, mobilizações dos servidores públicos contra a decisão do governo que se nega a conceder a Revisão Geral Anual – RGA. Alegando estar acima do limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF, o Governador informou os sindicatos que integram o Fórum Sindical no ultimo dia 6 de maio, que o Estado não concederá a recomposição prevista na Constituição, pelo menos por enquanto, sem informar, no entanto, quando será feita essa revisão. Diante da negativa do governo, os sindicatos que reunidos no Fórum Sindical tem promovido mobilizações para pressionar o governo a rever sua decisão.

Nesta terça-feira, o SINTESMAT organizou em todas as suas seccionais mobilizações em conjunto com outras categorias de servidores. As mobilizações contaram com a participação maciça dos Técnicos Administrativos da Educação Superior, além de servidores públicos de outros órgãos e entidades do poder executivo.

Enquanto as mobilizações aconteciam nas seccionais, o presidente do Sindicato, Luiz Wanderlei dos Santos, participou em Cuiabá de uma reunião convocada pelos Deputados Estaduais que se dispuseram a intermediar as negociações junto ao Governo do Estado. Em sua fala, Wanderlei destacou que não é objetivo de nenhum sindicato realizar greve, mas que essa é a única arma que os servidores dispõem para enfrentar o Governo para garantir um direito tão básico, previsto em várias leis e principalmente nas constituições do Estado e Federal.

Após muitos debates, ficou definido que uma Comissão formada por Deputados irá propor às partes (Governo e Sindicalistas) uma alternativa. Nas discussões, ficou sugerido um parcelamento do índice de recomposição (11,28%) em duas vezes, sendo 7,5% em Maio e o restante no mês de Junho. Os Deputados irão oficializar essa proposta numa reunião conjunta com representantes do Poder Executivo e os representantes sindicais, reunião que já está marcada para a próxima quinta-feira (19/05), às 07h da manhã na Assembleia Legislativa.

Após a apresentação, os sindicalistas e o governo devem se posicionar até segunda-feira (23/05), se aceitam ou não a proposta. 

Os sindicalistas presentes deixaram bem claro aos Deputados que levarão a proposta para suas categorias e as discutirão em Assembleias, mantendo, porém, o indicativo de greve geral no Estado para o dia 24 de maio.

 

 Crédito das imagens: servidores PTES das seccionais do SINTESMAT,  Luiz Wanderlei.

 

 

0
0
0
s2sdefault