Na tarde desta terça-feira, 29 de janeiro de 2019, convocados pela presidência do Sintesmat, os Profissionais Técnicos da Educação Superior se reuniram em Assembléia Geral para discutir sobre a greve da categoria e assuntos relacionados.
 
A convocação foi realizada após encaminhamento de Assembleias Setoriais, realizadas no dia anterior nas Seccionais do Sindicato, que sinalizaram a intenção da categoria em suspender a greve, e aguardar o calendário de mobilizações das demais categorias, reunidas através do Fórum Sindical de Servidores do Poder Executivo Estadual.
 
Na Assembleia foi avaliada a situação do movimento, e ao final os servidores foram questionados acerca da manutenção da greve, ou sua suspensão, com retorno as atividades, mantendo o estado de greve permanente, aguardando mobilização conjunta das demais categorias.
 
Colocada a deliberação em votação, obteve-se o seguinte resultado: aproximadamente 51% dos presentes votaram pela suspensão da greve, 33% por sua manutenção, 8% se abstiveram, sendo registrados ainda aproximadamente 7% de servidores que compareceram a Assembleia e não votaram.
 
Através do quadro abaixo, podem ser visualizados os votos de cada seccional.


 
O Sintesmat vai oficiar a gestão da Universidade acerca do resultado da Assembleia, no início da tarde de hoje, informando o retorno aos trabalhos para esta quinta-feira (31).
 
Em que pese haverem notícias na mídia estadual acerca de ação do Estado contra o movimento deflagrado pelos servidores, o Sintesmat informa que até o momento não foi comunicado oficialmente sobre o assunto, tampouco citado como determina a legislação. Mesmo não tendo sido, o sindicato possui defensor constituído para atuar, não apenas nesta, mas em outras ações que estão sendo propostas, em face do atraso do pagamento dos salários do servidores, o parcelamento do 13º salário dos servidores efetivos (aniversariantes de novembro e dezembro) e de todos os servidores contratados, e o não cumprimento da lei 10.572/2017, no que se refere ao RGA do ano de 2018.

Segundo o presidente do Sintesmat, Carlos Roberto dos Santos Júnior, “a vida é feita de recomeços. Existem momentos que se é necessário parar e avaliar os rumos para onde nossas decisões nos conduzem. Por isso as Assembleias cumpriram seu papel de avaliação. Na luta por direitos, assim como na guerra, é preciso ter estratégia e utilizar de todos os campos de batalha existentes, hoje transferimos por hora nossa luta para os campos da justiça e confiamos nas instituições existentes. Isso não significa que desistimos da via de mobilização, vamos nos manter mobilizados e aguardamento o momento apropriado de nos reposicionarmos no front de batalha, com mais força e com mais aliados”.
0
0
0
s2sdefault